BLOG PARA DIVULGAÇÃO DA LITERATURA RUSSA AOS FALANTES DE LÍNGUA PORTUGUESA.

Post Page Advertisement [Top]




MIKHAIL IURIEVITCH LERMONTOV foi um poeta e romancista contemporâneo e amigo de Pushkin e, com ele e com Fiódor Tiutchev, um dos maiores representantes do romantismo russo

Lermontov perdeu a mãe muito cedo, e a avó materna, que não se dava bem com o pai dele, o levou para morar com ela. Passou a infância no campo; era uma criança frágil e reclusa em seu mundo interior. Mais tarde, foi estudar na Universidade de Moscou, mas acabou sendo convidado a se retirar por seu comportamento turbulento, que o poeta vivia em festas, farras, e metido em duelos. Depois estudou na escola de oficiais e se tornou oficial do Regimento da Guarda.

Também era grande apreciador de Byron e também mantinha estilo de vida semelhante ao do bardo inglês, frequentando muito a sociedade e se envolvendo com várias mulheres. Ao mesmo tempo, em sua poesia, ele revelava enxergar a vaidade de tudo isso: sua obra era cheia de temas filosóficos, dentre eles sobre o vazio da sociedade que o cercava. Os poemas não correspondiam ao seu modo de vida, e na própria obra Lermontov, pela retratação de personagens autobiográficos, reconhecia a dubiedade e contradição de seu caráter

Quando Pushkin morreu, Lermontov, que o tinha como mestre além de amigo, escreveu em sua homenagem o poema “A morte do poeta” (Смерть поэта), que ganhou imediata notoriedade, e exalçou a fama de Lermontov. Todavia, o governo tzarista encarou o poema não como uma simples homenagem, mas como um ato político e um grito pela revolução, e mandou Lermontov para o exílio no Cáucaso.

Lermontov não se incomodou, que gostava muito do Cáucaso, e seu exílio lhe serviu como fonte de inspiração. Ele voltou para São Petersburgo em 1840, trazendo extensa obra poética, mas acabou sendo enviado para novo exílio no Cáucaso por participar em um duelo. Nesse ano, começou a publicar sua obra mais notável, “O Herói do Nosso Tempo” (Герой нашего времени), primeiro romance russo de prosa lírico-psicológica, publicado inicialmente como capítulos-contos autônomos e fora da ordem cronológica

Lermontov acabou morrendo em 1841, aos vinte e sete anos, em novo duelo, contra um homem que ele atormentara com zombarias. Diz-se que, apesar de extremamente talentoso, o poeta era maledicente, amargurado e de difícil convivência

Sua obra era forte e influenciadora, no entanto, e os heróis de “O Herói do Nosso Tempo” aparecem no livroTraquinagens no Cáucaso” (Проделки на Кавказе), da escritora Ekaterina Latchinova, amiga de Lermontov, publicado após a morte do poeta, em 1844, assinado sob pseudônimo e banido pela censura tzarista por seu conteúdo político.

Obras de Lermontov traduzidas no blog:
Você também pode ler um pouquinho de Lermontov em:

  • 5 poemas em tradução de Boris Schnaidermann e Nelson Ascher, publicados pela Folha
  • 4 poemas traduzidos por Jorge de Sena
  • 3 poemas traduzidos por Pedro Augusto Pinto no jornal eletrônico Rascunho

Até onde encontramos, a única obra de Lermontov publicada em português e disponível para compra é "O Herói do Nosso Tempo", que saiu pela Martins Fontes, com tradução de Paulo Bezerra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]