BLOG PARA DIVULGAÇÃO DA LITERATURA RUSSA AOS FALANTES DE LÍNGUA PORTUGUESA.

Post Page Advertisement [Top]


Quando anunciamos o desafio de literatura no começo do ano, surgiram alguns questionamentos sobre por que, dentre os autores do nosso calendário de leitura, não havia nenhuma mulher. 

Como restou explicado nos próprios comentários daquela publicação, ao escolher os autores para o calendário: 

a) Levamos em conta a quantidade de obras traduzidas disponíveis e/ou a facilidade de encontrar tais obras em bibliotecas públicas (Pasternak, por exemplo, tem poucas obras traduzidas, mas toda biblioteca tem pelo menos um exemplar de Dr. Jivago). Isso para que qualquer um pudesse participar do desafio, mesmo sem poder monetário pra comprar doze livros ao longo do ano. Estimulamos a compra de livros, principalmente de literatura russa, mas sabemos que não está fácil para ninguém.

b) Também buscamos autores que tivessem obras publicadas por mais de uma editora, já que não queríamos prender ninguém a essa ou aquela editora, essa ou aquela tradução.

c) E demos preferência à prosa, ou pelo menos ao teatro, já que poesia não é um gosto universal. 

Aconteceu que as poucas autoras russas publicadas ficaram retidas por esses filtros. Das mais conhecidas, Anna Akhmatova e Marina Tsvetaeva eram poetas; Svetlana Aleksiévitch (que, na verdade, é belarrussa) e Liudmila Petruchévskaia são publicadas apenas por uma editora; os textos de Alexandra Kollontai e Clara Zetkin (alemã, mas escrevia em russo) são predominantemente políticos, o que também não as recomendava para inclusão no calendário, para evitar polêmicas desnecessárias, e porque a intenção era ler literatura artística mesmo. 

E assim ficamos sem mulheres no calendário. Mas algumas pessoas se propuseram a trocar alguns dos autores recomendados, que já tinham lido, por autoras, e damos todo apoio a quem quiser isso. Até porque dar visibilidade às autoras russas é parte de um projeto pessoal aqui da página. Ainda em 2018, iniciamos uma pesquisa sobre as escritoras russas, e ano passado lançamos uma seção no site para publicar paulatinamente os resultados dessa pesquisa. Ainda tem muito pouca coisa publicada na seção, é fato, mas isso é porque: a) fazemos tudo bem devagarinho aqui na página mesmo; b) a intenção era traduzir pelo menos uma obra de cada autora apresentada, um poema ou conto curto, para realmente darmos voz à escritora em questão, e não apenas apresentarmos fatos biográficos sobre elas. Entre tantos outros projetos, não deu tempo ainda de investir nessas traduções. 

Outro desdobramento do projeto, e que, na verdade, lançou a semente para a própria pesquisa, foi uma prazerosa colaboração com a Editora Feminas, cujo primeiro fruto nascerá ainda esse ano. Falo do livro Camelinhos celestes (Небесные верблюжата), de Elena Guró, com lançamento previsto para outubro, que inaugurará a “Coleção Matrióchka”, voltada para a publicação de obras traduzidas. 

Nesse meio tempo, prestamos nosso apoio compilando essa lista de livros de autoras russas, sugestões de leitura para quem quiser fazer as substituições no calendário e conhecer perspectivas femininas. A lista foi obtida a partir das seguintes fontes: a) pesquisa de ISBN no site da Biblioteca Nacional; b) pesquisa no site Skoob; c) trabalhos acadêmicos, como o da tradutora Denise Bottmann, que trazem dados de obras traduzidas no Brasil em períodos anteriores à existência do ISBN. Foram consultados nomes de cerca de 50 escritoras (dentre um total aproximado de 250 autores russos), algumas descobertas na pesquisa mencionada anteriormente, outras que já sabíamos ou descobrimos no meio do caminho ter obras em português. 

Essa compilação também faz parte de outro projeto que noticiaremos propriamente no momento certo. Incluí mesmo edições esgotadas, edições de Portugal, autoras de outras nacionalidades cujas obras possam ser incluídas no cânone da literatura de língua russa (vide Aleksiévitch), e até autoras que não escreviam originalmente em russo (Irène Nemirovsky, judia ucraniana nascida Irina Nemirovskaia), mas que constam de compilações de obras de autores russos. 

A lista não é exaustiva, naturalmente. Quem souber de mais obras de escritoras russas (ou de língua russa), fará um enorme favor se indicar os dados dessas obras. Pode ser aqui nos comentários mesmo, para os outros leitores interessados verem, ou por mensagem privada para a página, se preferirem. 

No mais, desejamos a todos e todas o de sempre: boas leituras. 



LIVROS DE UMA AUTORA SÓ


  1. ALEKSIÉVITCH, Svetlana. A guerra não tem rosto de mulher. Traduzido por Cecília Rosas. Companhia das Letras, 2016.
  2. __________. O fim do homem soviético. Traduzido por Lucas Simone. Companhia das Letras, 2016.
  3. __________. As últimas testemunhas: crianças na Segunda Guerra Mundial (também saiu com o subtítulo "Cem histórias não infantis). Traduzido por Cecília Rosas. Companhia das Letras, 2018.
  4. __________. Vozes de Tchernóbil. Traduzido por Sônia Branco. Companhia das Letras, 2016.
  5. __________. Os meninos de zinco. Traduzido por Cecília Rosas. Companhia das Letras, 2020.
  6. __________. O fim do homem soviético: um tempo de desencanto. Porto Editora, 2015 (Portugal).
  7. __________. Rapazes de zinco: A geração soviética caída na guerra do Afeganistão. Traduzido por Galina Mitrakhovic. Elsinore, 2017 (Portugal).
  8. __________. Vozes de Chernobyl. Traduzido por Galina Mitrakhovic. Elsinore, 2016 (Portugal).
  9. AKHMATOVA, Anna. Requiem. Traduzido por Aurora Fornoni Bernardini e Hadasa Cytrynowicz. Art Editora, 1991 (Bilíngue).
  10. __________. Antologia poética: Anna Akhmátova. Traduzido por Lauro Machado Coelho. L&PM, 2009 (2ª ed. Em 2018).
  11. __________. Poemas. Traduzido por Joaquim Manuel Magalhães e Vadim Dimitriev. Relógio D'Água, 2003 (Portugal).
  12. __________. Só o sangue cheira a sangue. Traduzido por Nina Guerra e Felipe Guerra. Assírio & Alvim, 2000 (Portugal).
  13. BASHKIRTSEVA, Maria Konstantinovna. Diário. Traduzido por Gilda Marinha. Globo, 1943. (Originalmente escrito em francês).
  14. WASILEWSKA, Wanda. O arco-íris. Traduzido por Esmaragdo Marroquim e Valdemar Cavalcanti. O Cruzeiro, 1945.
  15. GURÓ, Elena. Assim a vida passa. Traduzido por Gabriela Soares da Silva. Arte & Letra, 2017. (Edição artesanal limitada, costurada à mão, atualmente esgotada).
  16. KOLLONTAI, Aleksandra. Um grande amor. Traduzido por Luciana M. Sigaud Sellos. Rosa dos Tempos, 1985. 
  17. __________. O amor na sociedade communista, a nova mulher e a moral sexual. Pax, década de 1930 ou 1940 (Consta do catálogo, mas não é certo que tenha sido publicado).
  18. __________. A nova mulher e a moral sexual. Expressão Popular, 2003.
  19. __________. Autobiografia de uma mulher comunista sexualmente emancipada. Traduzido por Lígia Lopes Gomes. Sundermann, 2007.
  20. __________. A Família e o Comunismo. Centelha Cultural, 2015.
  21. __________. As relações sexuais e a luta de classes. Centelha Cultural, 2017. 
  22. __________. Revolução no cotidiano e nos costumes: A questão feminina nos primeiros anos da Revolução Russa. Centelha Cultural, 2018.
  23. __________. O Comunismo e a Família. Tradução de Carlos Henrique. Amazon, 2012. 
  24. __________. Oposição Operária 1920-1921; 1980; Global; Coleção Bases, V.
  25. KRUPSKÁIA, Nadejda. A construção da pedagogia socialista (escritos selecionados). Tradução de Luis Carlos de Freitas e Natalya Pavlova. Expressão Popular, 2017.
  26. LUGOVSKAIA, Nina. O Diário de Nina: o terror stalinista nos cadernos de uma menina soviética. Traduzido por Joana Angelica D'Avila Melo. Ediouro, 2005.
  27. NÉMIROVSKY, Irène. Suíte Francesa. Traduzido por Carlos Correia Monteiro de Oliveira. Quixote, 2005. (Originalmente escrito em francês).
  28. __________. Suíte Francesa. Traduzido por Rosa Freire d'Aguiar. Companhia das Letras, 2006. Duas edições com capas diferentes (Originalmente escrito em francês).
  29. __________. As moscas de outono. Traduzido por Diogo Paiva. Cavalo de Ferro, 2019 (Portugal. Originalmente escrito em francês).
  30. __________. O senhor das almas. Traduzido por Rosa Freire d'Aguiar. Companhia das Letras, 2008 (Originalmente escrito em francês).
  31. __________. Calor do sangue. Traduzido por Vera Gertel. Record, 2009 (Originalmente escrito em francês).
  32. PAVLOVA, Anna. Como me tornei uma bailarina. Traduzido por Clara Lacerda. Cosac Naify, 2001.
  33. PETRUCHÉVSKAIA, Liudmila. Era uma vez uma mulher que tentou matar o bebê da vizinha. Traduzido por Cecília Rosas. Companhia das Letras, 2018.
  34. __________. A menininha do hotel Metropol. Traduzido por Cecília Rosas. Companhia das Letras, 2020.
  35. __________. Hora: Noite. Traduzido por Nina Guerra e Filipe Guerra. Relógio d'Água, 2011 (Portugal).
  36. RACHMANOVA, Alia; A fábrica do novo homem. Traduzido por Felipa Muniz. Globo, 1937.
  37. __________. Casamentos na tormenta vermelha. Traduzido por Felipa Muniz. Globo, 1940.
  38. __________. Diário duma exilada russa; Esther de Viveiros; 1939; Globo.
  39. __________. Estudantes, amor, Tscheka e morte. Traduzido por Felipa Muniz. Globo, 1936.
  40. REISSNER, Larissa. Homens e machinas. Pax, 1930.
  41. TOLSTÁIA, Tatiana. No degrau de ouro. Traduzido por Tatiana Belinky. Companhia das Letras, 1990 (Indisponível no site da editora).
  42. KHVOSCHÍNSKAIA, Nadiêjda. A moça do internato. Traduzido por Odomiro Fonseca. Zouk, 2017.
  43. TSVETÁEVA, Marina. O poeta e o tempo. Traduzido por Aurora Fornoni Bernardini. Âyiné, 2017.
  44. __________. Vivendo sob o fogo: confissões. Traduzido por Aurora Fornoni Bernardini. Martins, 2008.
  45. __________. Indícios flutuantes. Traduzido por Aurora Fornoni Bernardini. Martins Fontes, 2005 (Edição bilíngue)
  46. ZETKIN, Clara. Como nasce e morre o fascismo. Traduzido por Eli Moraes. Autonomia Literária, 2019.
  47. __________. A questão feminina. Traduzido por Elaine Calça. Nova Cultura, 2019. 

OBRAS EM ANTOLOGIAS

 

Antologia do humor russo (1832-2014). Оrg. Arlete Cavaliere, Editora 34, 2018.


1. TÉFFI, Nadiéjda. A Grécia.
2. TSVETÁEVA, Marina. Seguro de vida.
3. __________. Minha Genebra.
4. DOBROKHOTOVA-MAIKOVA, Natália e PIATNITSKI, Vladímir. Uma turma animada.
5. ULÍTSKAIA, Liudmila. Gúlia.
6. TOLSTÁIA, Tatiana. Paredes brancas.
7. PETRUCHÉVSKAIA. Liudmila. Deem para mim.

A Revolução das mulheres: emancipação feminina na Rússia Soviética. Org. Graziela Schneider Urso. Boitempo, 2017.


8. KALMÁNOVITCH, Anna. Algumas palavras sobre o feminismo. 
9. __________. O movimento feminista e a relação dos partidos com ele.
10. CHAPÍR, Olga. Ideais de futuro.
11. POKRÓVSKAIA, Maria. Como as mulheres devem lutar contra a prostituição.
12. __________. Lei e Vida.
13. GURIÉVITCH, Liubov. A questão da igualdade de direitos das mulheres no meio camponês.
14. __________. Sobre a questão do sufrágio feminino na sociedade russo, nos ziémstvo e nas cidades. 
15. KRÚPSKAIA, Nadiéjda. Deve-se ensinar "coisas de mulher" aos meninos?
16. __________. União da juventude. 
17. __________. Guerra e maternidade.
18. __________. A trabalhadora e a religião.
19. __________. Comunicado às operárias e camponesas sobre a morte de Lenin.
20. __________. O Partido Comunista e a trabalhadora. 
21. __________. A religião e a mulher.
22. __________. Sobre o Congresso das operárias e Camponesas.23. __________. Caminhos para a emancipação da mulher oriental.
24. __________. Prefácio para a coletânea O legado de Lenin sobre a emancipação da mulher.
25. __________. Apenas no país dos sovietes a mulher é livre e tem direitos iguais.
26. KUSKOVA, Ekaterina. Mulheres e igualdade: a respeito do I Congresso de Mulheres de Toda a Rússia. 
27. TIRKÓVA-WILLIAMS, Ariadna. A transformação psicológica da mulher ao longo dos últimos cem anos. 
28. KOLLONTAI, Aleksandra. A mulher trabalhadora na sociedade contemporânea.
29. __________. O dia da mulher. 
30. __________. Na Rússia também haverá um dia da mulher!
31. __________. O fracasso do lema da "paz civil". 
32. __________. V. I. Lenin e o I Congresso de Trabalhadoras. 
33. __________. Relações entre os sexos e a luta de classes. 
34. __________. Da história do movimento das trabalhadoras na Rússia. 
35. __________. I Conferência Internacional de Mulheres Comunistas. 
36. __________. Os sindicatos e a trabalhadora. 
37. __________. A III Internacional e a trabalhadora.
38. __________. O que Outubro deu à mulher ocidental. 
39. __________. As combatentes no dia do Grande Outubro.
40. ARMAND, Inessa. A trabalhadora e o Congresso de Mulheres de Toda a Rússia.
41. __________. O Partido Comunista e a trabalhadora. 
42. __________. A trabalhadora no combate à contrarrevolução. 
43. __________. A trabalhadora defende a Revolução de Outubro. 
44. __________. As trabalhadoras e os sovietes. 
45. __________. As operárias e as camponesas zelam pelo Exército Vermelho. 
46. __________. As trabalhadoras na I Internacional. 
47. KUVCHÍNSKAIA, Elena. Mulher e política.
48. SAMÓILOVA, Konkórdia. O que a grande Revolução de outubro deu aos operários e camponeses. 

Escritos de outubro: os intelectuais e a Revolução Russa. Org. Bruno Barretto Gomide, Boitempo, 2017.


49. TSVETÁEVA, Marina. Do diário (trechos).
50. GUÍPPIUS, Zinaída. Os cadernos negros (1917-1919) (trechos).
51. TÉFFI. Memórias (trecho).
52. KOLLONTAI, Aleksandra. Os popes ainda trabalham.
53. PARNOK, Sofia (sob o pseudônimo POLIÁNIN, Andrei). Dias da Lírica Russa.

Marx pelos marxistas. Tradução de André Albert. Boitempo, 2019.


54. ZETKIN, Clara. Karl Marx e a obra de sua vida!

A revolução sexual e a revolução socialista. Estudos Vermelhos, 2009. Só e-book. Tradução indireta (do francês).


55. KOLLONTAI, Aleksandra. O Dia da Mulher.
56. __________. O comunismo e a família.
57. ZETKIN, Clara. Lênin e o movimento feminino.

Contos russos. Org. Rubem Braga. Tradução indireta de Caio de Freitas. Ediouro, 2004.


58. SEIFULLINA, Lídia. Mãe. 

Mesma tradução figura nas coletâneas “O livro de ouro dos contos russos” (Ediouro, 1981), “O livro de bolso dos contos russos” (Edições de Ouro, 1963), “Os russos: antigos e modernos” (Leitura, 1944), e uma coletânea de nome desconhecido (Cultura, 1931).

Contos soviéticos. O Cruzeiro, 1944.


59. TÉFFI, Nadejda. Cartas de amor. (Tradução de Luiz Alípio de Barros). 
60. CHAGUINIÁN, Marietta. A enfermeira Zedrik. (Tradução de Gabriel Marques).
61. KOLLONTAI, Aleksandra. As irmãs. (Tradução de Gabriel Marques).

Mesmas traduções indiretas da coletânea “Contos soviéticos. Os novos da Rússia”, Editora Cultura Brasileira, 1934, com exceção da Teffi, que não constava da edição de 1934.   

Os mais belos contos russos dos mais famosos autores. 1ª série. Mundo Latino, 1945. Tradução indireta.


62. TÉFFI, Nadejda. O faquir. (Tradução de Frederico dos Reys Coutinho).

Os mais belos contos russos dos mais famosos autores. 2ª série. Mundo Latino, 1945. Tradução indireta.


63. TÉFFI, Nadejda. Estratégia no vagão. (Tradução de J. da Cunha Borges).
64. NEMIROVSKY, Irène. A partida para a festa. (Tradução de Edison Carneiro).


Contributo para a História do Feminismo: Marx, Engels, Lénine e Kollontai. Aletheia, 2019. Portugal.


65. KOLLONTAI, Aleksandra (Não tivemos acesso ao conteúdo da obra).
 

A mulher e a luta pelo socialismo. Tradução de Cecília Toledo. Sundermann, 2012.


66. ZETKIN, Clara. (Não tivemos acesso ao título do artigo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]