BLOG PARA DIVULGAÇÃO DA LITERATURA RUSSA AOS FALANTES DE LÍNGUA PORTUGUESA.

Post Page Advertisement [Top]

Deus foi testar as pessoas no amor,
Foi à clareira[1], em pobre vestidura.
Num toco do bosque sentado um senhor
Com as gengivas roía uma côdea dura.

O vovô viu o mendigo no caminho,
Na vereda, com um férreo cajado,
E pensou: Veja , o coitadinho,
Chega a cambalear de fome, adoentado.

Deus chegou perto, ocultando dor e aflição:
Seus corações, -se, não quem acorde...
E disse o velhinho, estendendo-lhe a mão:
... pra ficar um pouquinho mais forte.”


1914

Serguei Iessiênin






Шел Господь пытать людей в любови,
Выходил Он нищим на кулижку.
Старый дед на пне сухом в дуброве,
Жамкал деснами зачерствелую пышку.

Увидал дед нищего дорогой,
На тропинкес клюшкою железной,
И подумал"Вишькакой убогой, -
Знатьот голода качаетсяболезный".

Подошел Господьскрывая скорбь и муку:
Видномолсердца их не разбудишь...
И сказал старикпротягивая руку:
"Напожуй... маленько крепче будешь".

1914

Сергей Есенин






[1] Nesse poema, Iessiênin faz um jogo de palavras. Kulijka significaclareira”, mas Kulijki é o nome de um bairro de Moscou, famoso pela quantidade das igrejas. Foi onde Deus desceu para testar as pessoas. Dubrova, que significa “bosque”, onde está o velho, também é o nome de um bairro de Moscou, vizinho de Kulijki. Ou seja, o poeta a entender que Deus desceu em uma cidade grande, que, em sua vida agitada, não lhe deu nenhuma atenção, e Ele encontrou compaixão em um velho pobre à beira do caminho. Agradecimentos a meu amigo Igor Kryutchkov pela explicação da referência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]